Sexta-feira, 23 de Dezembro de 2005

Portugal SA

Portugal S A
Um País é uma grande empresa na qual todos os habitantes têm o mesmo número de ações. Sendo assim sempre deveria ser feita uma consulta no caso de venda de mais de 50% das ações de qualquer empresa que pode por em risco o domínio da empresa e da própria nacionalidade .. Mas não é assim no Portugal S A. Quando há prejuízo, este só atinge os pobres. . Os ricos não podem empobrecer e o pobre só pode ser Henrique mas nuca poderá enriquecer .
Os bem de vida vão comprar automóveis na Espanha S A que os vende com preços inferiores aos praticados pela Portugal S A que se afunda por não saber competir. O nosso concorrente fornece até endereço no seu domínio para burlar os patriotas dentro da Portugal S A. A Espanha S A quer ser o acionista majoritário para nos anexar.
Anexar do modo que anexou Olivença, não é mais possível e, por isso, tenta conseguir através da compra de ações. Já comprou empresas portuguesas só para fechá-las ou transformá-las em postos de revenda de produtos espanhóis
Ás vezes eu penso que nas Universidades portuguesas, não existem cursos de administração nem matemática desde o ano 1800. Mais de dez mil habitantes nascidos no município de Olivença, que é parte de Portugal, vivem irregularmente com documentação espanhola desviando para Espanha os impostos que são do fisco português.
Será que não temos administradores nem matemáticos. Se os tivéssemos teriam sido evitados, os tropeços na lógica da matemática, pois eles teriam acabado com a afronta do governo de Madrid; Madrid esquece que os portugueses jamais se subordinarão a Castela,como as outras nações Ibéricas. Os atuais administradores de Portugal têm que dividir a dívida pela classe média alta e ricos, proporcionalmente responsabilizando-os pela quitação da mesma; Os pobres não podem ser responsabilizados pelo endividamento do País. Escrevi este texto porque fiquei indignado com a notícia- centenas compram carros em Espanha= publicada no Jornal de Noticias

Não há dúvida! O atraso de Portugal, visto numa comparação com a Espanha, existe mesmo e assusta. Porém as causas do atraso são conhecidas e não existem mais. Enquanto tivemos as colônias procuramos tirar proveito delas. Foi esse proveito ilusório e a guerra colonial desastrosa que fez desviar a atenção do Portugal continental que, por isso, ficou parado. Não temos mais colônias nem ditadores e a safra de políticos medíocres já deve ter acabado. Nota-se o crescimento do descontentamento que vai gerar o censo de vigilância. Os empresários Portugueses já entenderam que é preciso investir mais em Portugal que, no final das contas, mostra que a pátria mãe é sempre a melhor garantia da segurança pessoal e do capital. Temos a sociedade dos amigos de Olivença que cresceu e amadureceu; está pronta para agir .Por enquanto será através de pressão psicológica que é tão eficaz quanto o terrorismo clássico para obrigar as partes a sentar á mesa, ate achar a melhor solução, na presença de representantes das nações, e da mídia; nada de reuniões secretas. Aparentemente os litígios de fronteiras perderam sentido com a criação da U E, mas, essa exclusão não é real; os casos de Olivença , Ceuta e Melilla, vão ficar como vírus perturbadores se não forem acertadas as fronteiras. É uma questão de sentimento nacional.que futuramente poderá criar problemas para a UE
Os amigos de Olivença são essencialmente amigos de Portugal pois estão preocupados com o baixo crescimento do PIB que os leva a procurar, com afinco, soluções para fomentar o crescimento. . Precisamos do envolvimento sério dos mestres das universidades que podem mostrar a verdade dos resultados matematicamente. A maior empresa de Portugal é Portugal; esse Portugal que é de todos os Portugueses, não pode ser administrado somente por políticos que agem servindo a regiões especificas ou classes esquecendo o bem coletivo. Uma parte dos políticos baseia a governança em filosofias que não são a matemática da verdade e por isso não chegam a soluções satisfatórias. A economia portuguesa não está bem; os portugueses já estão consciente disso e já começaram a agir. Portugal sempre tem os homens certos na hora certa para mostrar o nosso valor e surpreender o Mundo Agora, acordados, atingiremos em pouco tempo, uma renda per capita superior há dos espanhóis.forçadamente confederados.
O Sr conhece tanto quanto os espanhóis a fragilidade da Espanha, que é uma realidade sem poder para impor às outras nações ibéricas um idioma que não é sinônimo de nada. Digo isto porque todos os habitantes nascidos na Península, são Ibéricos assim como são americanos todos os habitantes das Américas. Se a Espanha fala espanhol, que nunca existiu na península, então, o México fala mexicano, o Chile fala chileno.etc. Espanhol não é sinônimo de castelhano : é uma camuflagem para que esqueçamos a Castela dominante causadora de todos os Problemas Ibéricos. Na península Ibérica Fala-se o português, basco, catalã, galego, castelhano e Andaluz ; nada de idioma espanhol. Uma união composta de regiões autônomas, de cultura diferente, não tem firmeza. . A palavra autonomia no caso espanhol dá a impressão da liberdade vigiada que incomoda: . Estados Unidos da Península Hispânica poderia dar certo assim como deu certo, Estados Unidos da América.. Eu penso que todos os povos são iguais se não for considerada a riqueza material.; acho também que todos querem que os povos Hispânicos sejam fortes e amigos, mas , para que assim seja, temos que acertar primeiro as fronteiras e renegar o colonialismo e esquecer Espanha e Castela, para evitar rixas. A Espanha vai se desmoronar como a Iugoslávia e a União Soviética. A Catalunha quer mais autonomia e, se conseguir, deixa aberto o caminho para a independência do País Basco e Galiza.. Eu acho que ficaria melhor se o País Basco, Santander, Astúrias e Aragão anexassem Castela a Velha para formar um só Estado. Que a Catalunha ,Andaluzia, Múrcia, Valencia e Ilhas Canárias anexassem Castela a Nova para formar mais um Estado e finalmente o Terceiro Estado Seria Portugal, Galiza, Leão e Estremadura : Madrid ficaria dividida pelos três Estados e, futuramente, de acordo com os entendimentos, poderia ser a capital do provável , Estados Unidos da Ibéria. Castela , sempre exerceu um domínio que não deu certo e, por isso não pode mais reter o poder com que tenta dominar as outras nações Ibéricas. De Castela só podemos aproveitar o idioma que poderá o oficial de uma possível união dos estados Ibéricos.
OTA
Já tenho conhecimento de algumas opiniões sobre a construção do novo aeroporto e até que ponto é bom para a economia do País. Todos os argumentos parecem sérios, mas, a intuição popular, pelo que se percebe, leva-nos a concluir que a construção do novo aeroporto só interessa a alguns grupos.
Comparando o aeroporto de Lisboa, Porto e Faro, com os aeroportos dos países mais próximos e a movimentação nos mesmos, podemos constatar que não estamos mal servidos. Portanto, para atender ao provável aumento do tráfego aéreo, nos próximos anos, parece que as possíveis ampliações e modernização dos aeroportos que possuímos sejam mais convenientes que a construção de um novo que poderá cair em mãos perigosas capazes de atrair para a vizinhança uma estrutura que vai prejudicar todo o complexo existente, na vizinhança dos aeroportos em atividade. O avanço tecnológico faz crer que , num futuro próximo , os aviões usarão espaços menores para pouso e decolagem. Sendo assim, não há necessidade de ampliação da área de pouso. O transporte ferroviário de alta velocidade também é um risco por causa da vulnerabilidade a ataques terroristas. As atuais confusões sociais e políticas mais o terrorismo, dificultam os cálculos que poderiam mostrar se haverá crescimento ou queda do tráfego aéreo e ferroviário no futuro. . Essa situação social precisa ser considerada. A economia portuguesa não pode se arriscar em planos de sucesso duvidoso. Temos que investir nos setores essenciais para chegar á estabilidade com crescimento sustentado.
bernardolopes@superig.com.br---------http://lopesdarocha.blogs.sapo.pt
publicado por blopesdarocha às 00:17
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Reforçando o combate à co...

. Espaço Sideral

. Confissões, Broncas e Des...

. Natal de famintos e empan...

. PIB isquêmico

. Plano de Lula para zerar ...

. A solução para a crise po...

. Criticar sem sugerir (mes...

. O euro veio para ficar e ...

. O euro veio para ficar

.arquivos

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Agosto 2015

. Dezembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Junho 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Novembro 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds