Domingo, 18 de Fevereiro de 2007

Olivença, brincadeira e caso sério. Seja como for, temos que agir

Olivença, brincadeiras e caso sério. Seja como for, temos que agir.
Em principio parece possível resolver a questão de Olivença com argumentos e provas. Mas não é assim. Conversa para acertar fronteiras não surte o efeito esperado. Não surtiu na Iugoslávia nem vai surtir na Península Ibérica. Foi pelo uso da força militar que Castela nos tirou Olivença e, antes, também pela força militar subjugou as demais nações que constituem um aglomerado a que foi dado o nome de Espanha, para consolidar a idéia de que Castela não existe mais como nação dominadora.e que nem a língua castelhana existe. Língua espanhola é um pseudônimo para encobrir o castelhano. Nós portugueses não temos como acreditar no diálogo com a Espanha para reavermos Olivença. Pelo diálogo também não é fácil convencer os oliventinos de que eles são espanhóis por força de uma injustiça e uma guerra suja, pois nasceram em território português.
Os oliventinos amam a Espanha, porque são facilmente educados com essa finalidade visto que não lhes foi contado nada do genocídio. A alteração de fronteiras pela força militar tem gosto de conquista para o vencedor que logo esquece mas o gosto de derrota gera na mente dos vencidos o ódio que só a desforra pode excluir. Jamais os rebeldes aceitarão a decisão dos conformados. No caso do País basco, está bem claro que, a aceitação de algum domínio externo, só poderá ser aquele que foi aceito pelas nações da U E, e nunca o que vem dos castelhanos que sempre os dominaram pela força: a mesma força que usaram, muitas vezes, em tentativas de anexar Portugal. A Castela vai ter que aceitar o País basco como mais um membro da U E. e, deve-se preparar para devolver Olivença. A indiferença do governo espanhol é o começo do fim da Espanha e do idioma espanhol– agrupamento forçado-; é o ressurgimento das nações ibéricas oprimidas e de seus idiomas. Um idioma comum será escolhido para comunicação geral entre todas as nações e certamente não será o castelhano. Que seja o, Esperanto ou Inglês .Acho que num plebiscito, os espanhóis decidiriam devolver Olivença a Portugal e exigiriam da Inglaterra a devolução de Gibraltar. Se isso acontecer não haverá mais perigo de desunião.
bernardolopes@superig.com.br
publicado por blopesdarocha às 09:29
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Reforçando o combate à co...

. Espaço Sideral

. Confissões, Broncas e Des...

. Natal de famintos e empan...

. PIB isquêmico

. Plano de Lula para zerar ...

. A solução para a crise po...

. Criticar sem sugerir (mes...

. O euro veio para ficar e ...

. O euro veio para ficar

.arquivos

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Agosto 2015

. Dezembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Junho 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Novembro 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds