Terça-feira, 9 de Fevereiro de 2010

Contribuiçãp para combater a pobreza e exclusão social


A mensagem gue se segue foi enviada ontem (terça-feira, 9 de fevereiro de 2010) para,(2010 no combate á pobreza e exclusão social proposto pela União Européia) não ficou visível como ficavam na consulta aos cidadãos europeus. A mensagem opinativa que cai no "buraco negro" desanima o opinante

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

 

Pensando em participar durante 2010 no combate á pobreza e exclusão social proposto pela União Européia, vou contribuir com propostas e soluções baseadas em sugestões dos pobres e excluídos; sugestões bem parecias com as que apresentei na consulta aos cidadãos europeus - realizada entre novembro de 2008 e abril de 2009 - que buscava sugestões que possam consolidar o futuro da Europa, de maneira que possa garantir a tranqüilidade social de todos os cidadãos de qualquer idade. em todos os Países membros e sanar os demais problemas que afetam a segurança física das pessoas

 

Esto é copia com, algumas alterações, da Mensagem que enviei por e-mail ao SR presidente Cavaco silva e Jose Sócrates Acho que tem mais de três anos. Foi através do portal da presidência. Não guardei a data

 

Exmo Sr Presidente da República Aníbal Cavaco Silva
Saudações

Isto é a exposição de um plano social baseado nas sugestões dos excluídos e desempregados pobres, para reparar o mal causado pela ganância e egoísmo, com devolução do excesso de bens retidos que os colocará na área dos consumidores de poder aquisitivo suficiente. ..

Sou português natural de Viseu.. Nasci em 1933 e moro no Rio de Janeiro RJ desde 1962.

Só posso comprovar que completei a quarta classe do ensino primário. O mais que sei foi aprendido na escola da vida que não dá diploma.

Nunca mais voltei a Portugal, mas não o esqueci!. Sempre demonstrei ser contra a guerra colonial e, por isso fui aconselhado a sair de Portugal. Atender esse conselho foi bom para mim visto que  .aprendi muito com os brasileiros pobres, porque sempre me chamou a atenção, a maneira como se defendem na aparente impossibilidade de sobreviver no espaço do pauperismo.

Investiguei e pude descobrir, nas respostas dos investigados, como é possível viver, sem ajuda do governo e como o governo poderia acabar com a exclusão social.

A maioria dos brasileiros pobres, residente nas grandes cidades, acredita nos ensinamentos dos mestres de qualquer religião, das filosofias e das ideologias, mas gostam de questionar.

Por conseqüência desse questionamento criaram sua própria ideologia que é adotada por todos os excluídos. Qualquer discussão que tenhamos com os pobres desempregados, que estão na área da exclusão social, envolve Deus e os ricos que estão no governo ou fora dele porque são vistos como os senhores das deliberações.
.
Esses mendigos maltrapilhos parecem famintos, mas não tanto como parece, nem idiotas como são vistos por muitos da classe favorecida. .. Os trapos que vestem são um distintivo que é para fazer as pessoas se lembrar de que eles precisam de ajuda. .

Eles conseguem, mendigando, pelo menos, dois salários mínimos,. O salário mínimo no Brasil dá para viver razoavelmente 15 dias; os restantes 15  são costeadas por fontes do submundo, horas extras e biscates .que chegam a triplicar o salário mínimo
 

Durante os anos que trabalhei perto deles consegui saber como eles vêem a solução que pode acabar com a exclusão social;   A solução que imaginaram é uma percentagem adicionada a todas as compras e serviços adquiridos pelo consumidor final (varejo)

 

O imposto previsto por eles não substitui os restantes impostos..

Eles acham que as despesas com a construção e manutenção de Hospitais com toda a parafernália de máquinas necessária e os profissionais de todas as áreas que os faz funcionar : mais as despesas com a internação de doentes ou simples atendimentos; aposentadorias e salário desemprego até ao novo emprego, Etc não devem ser pagas pelas empresas nem por seus funcionários.

 

Nenhum patrão, seja ele o governo ou entidade civil, nem seus empregados poderão ser obrigado a contribuir para a previdência e seguro social porque essa contribuição será a adição, da citada percentagem, ás compras e serviços para que cada habitante do País contribua para .previdência social desde o nascimento até á morte... .

Os excluídos dizem que isentar os empregadores e empregados legalizados, da contribuição para a previdência social, facilita a admissão de funcionários .e reduz os custos operacionais, barateia os preços por que os direitos dos trabalhadores serão da responsabilidade do único órgão recebedor – previdência e seguro social—da percentagem ás compras e serviços.

A finalidade da aplicação desse modelo de imposto é conseguir a devolução do excesso retido para descongestionar a banda rica e acabar com a isquemia da banda pobre.

 

Tirar mais de quem tem mais ou gasta mais para acertar as diferenças; é uma solução.. Portanto. ao valor das compras da classe pobre também será adicionado para o seguro social ou previdência social a mesma percentagem que será cobrada da classe média e rica,

 

A percentagem a ser adicionada também é igual tanto para os gêneros de primeira necessidade como para os supérfluos para evitar manobras de sonegação.

O peso da contribuição, por ser proporcional, torna o poder de suportá-lo, igual em todas as classes. .

 

Os ricos e os habituais sonegadores e corruptos que quiserem pagar pouco terão que viver como pobres o que não o impedirá de ficarem cada vez mais ricos.

Os pobres nem vão sentir o peso do dessa contribuição visto que não haverá desconto nos salários, .e ainda terão facilitada a aposentadoria (reforma) atendimento médico e hospitalar por não terem mais a obrigação de apresentar comprovante de contribuição.

O imposto proporcional sobre todas as compras e serviços inclui a despesa com animais domésticos e serviços que precisem. . .

A aposentadoria terá que ser de valor igual para todos visto que a contribuição proporcional ao poder aquisitivo é a devolução do excesso retido que pertencia aos pobres e, portanto, a eles deve ser devolvido para que possam permanecer na área de consumidores que não dependem de esmola.  Quem quiser mais terá que pagar previdência privada.

Pelo exposto, fica claro, que não se trata da criação de mais um imposto, trata-se apenas da transferência de uma contribuição que está sendo paga pelos poucos que trabalham legalmente para todos os honestos e desonestos , legais e ilegais.

 

Nenhuma instituição política, religiosa ou qualquer entidade filantrópica. poderá ser isento. A isenção de alguma poderá ser vista como preconceito ou discriminação


Quem ganha um salário mais um terço do salário para cada dependente menor, deixa de ser um peso para o governo e ser for equilibrado, não perturba a sociedade.

 

O plano dos excluídos pode matar a fome de alimentos , mas a fome de drogas, posse de dinheiro fácil e bens alheios, só pode ser morta pela ação da justiça e polícia. .

 

O salário garantido em qualquer parte do País vai sustar a migração que inchou as cidades e desertificou o interior,

 

Os desempregados serão obrigados a prestar algum tipo de serviço até conseguir o novo emprego..Palavra dos excluídos.

 

O salário desemprego permanente, em princípio é só para quem não tem renda próprio ate ser verificada a possibilidade de estendê-lo a todos.. .

O plano que proponho está fundamentado nas sugestões dos excluídos e desempregados pobres,

 

O salário permanente também acabará com o comercio, ilegal praticado nas ruas, porque não haverá mão de obra disponível para servir a máfia da pirataria e contrabando..

 

Deus manda o Sol e a Terra produzir tudo para manter a vida animal e vegetal mas não faz a distribuição da produção porque a obrigação de distribuir é dos governantes.

 

Ser rico não é pecado desde que não haja ninguém passando fome nem esteja nu, nem desabrigado nem preso ou enfermo sem assistência Estas são as exigências de Deus, para tolerar a existência de ricos.
 

 Amanhã tem mais B L R

 

publicado por blopesdarocha às 11:10
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Reforçando o combate à co...

. Espaço Sideral

. Confissões, Broncas e Des...

. Natal de famintos e empan...

. PIB isquêmico

. Plano de Lula para zerar ...

. A solução para a crise po...

. Criticar sem sugerir (mes...

. O euro veio para ficar e ...

. O euro veio para ficar

.arquivos

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Agosto 2015

. Dezembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Junho 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Novembro 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds