Sexta-feira, 19 de Abril de 2013

A solução para a crise portuguesa e "global" cista pelos portugueses extorquidos pela Troika

 

Solução para a crise portuguesa e “global” vista pelos  portugueses extorquidos pela troika

Os resultados analisados sob ponto de vista da  maioria da  classe pobre, (desconhecedora das técnicas de administração modernas complicadas e discriminadoras)  são  transparentes e, por isso, fáceis de entender e aplicar sem erro, se considerarmos a frase de  Albert Einsten que diz:  “ para entender simplifique, não mais.  Essa dica de Einsten é o modo natural - para entender- usado pelos não perturbados pelas técnicas modernas  tendenciosas.

As pessoas de qualquer classe, que não são versados  na matemática financeira  tendenciosa, entendem que  o salário mínimo insuficiente, para o pobre viver dignamente, é  causa da recessão que reduze o PIB.

Portanto, fica claro que; para pagamos as dividas que forem justificadas pela (  auditoria dos cidadãos ás dívidas, proposta por Evelyn Morais E Castro)

dependemos  do  crescimento  do poder aquisitivo dos pobres e da imediata suspensão dos cortes, aumento de salários baixos, diminuição dos exagerados e da  devolução dos cortes já feitos.

Podem dizer que é difícil de implantar uma mudança tão drástica como a que o “Sindicato dos excluídos” propõe, mas não é impossível visto que, depende somente da suspensão da divida e pagamento dos juros,  até que  termine a auditoria proposta por EVELYN. Na minha Pagina ( meu livro e   sindicato dos excluídos RZD) tem mais.

publicado por blopesdarocha às 15:34
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Reforçando o combate à co...

. Espaço Sideral

. Confissões, Broncas e Des...

. Natal de famintos e empan...

. PIB isquêmico

. Plano de Lula para zerar ...

. A solução para a crise po...

. Criticar sem sugerir (mes...

. O euro veio para ficar e ...

. O euro veio para ficar

.arquivos

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Agosto 2015

. Dezembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Junho 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Novembro 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds