Domingo, 11 de Junho de 2006

Espanha

Espanha folclore
A Espanha não deve pertencer a ninguém. A Espanha apareceu alguns séculos depois das reais nações Ibéricas já estar delimitadas. Portanto, deve desaparecer porque é apenas um nome usado por Castela para camuflar o seu expansionismo. Que Castela remova o nome – Espanha- e volte a ser o interior da península que sempre foi,
Onde estão as famílias reais das outras nações ibéricas? Eu pergunto, mas não quero saber. Não quero saber porque acho ilegal a entrega do governo de um País a uma família composta de membros como qualquer família comum. Ser governado por uma família com poder absoluto, como era antigamente, sem dúvida, podemos considerar como o princípio que consolidou, por muitos séculos, a escravatura. Escravatura foi o mais hediondo crime legalizado até pelas religiões que pregavam o amor. As monarquias da atualidade são folclore que, até certo ponto, mantém unidas algumas regiões e não representam mais o perigo, como aquele, que subordinou Portugal de 1580 a 1640.
Se os romanos tivessem conseguido unificar a península e o seu idioma, certamente, estaríamos melhor, mas não foi possível e jamais será. As fronteiras na U E passaram a ser simbólicas mas o nacionalismo não é símbolo; é um sentimento. Portanto que Olivença volte para Portugal e que os oliventinos escolham a nacionalidade que preferirem. O restante da península que fique dependente dos acordos propostos por Madrid.. Viva Portugal e a União Européia. O iberismo não tem mais espaço para manobras.
bernardolopes@superig.com.br
publicado por blopesdarocha às 22:29
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
26

27
28
29
30
31


.posts recentes

. Reforçando o combate à co...

. Espaço Sideral

. Confissões, Broncas e Des...

. Natal de famintos e empan...

. PIB isquêmico

. Plano de Lula para zerar ...

. A solução para a crise po...

. Criticar sem sugerir (mes...

. O euro veio para ficar e ...

. O euro veio para ficar

.arquivos

. Agosto 2017

. Junho 2017

. Agosto 2015

. Dezembro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Dezembro 2012

. Junho 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Novembro 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Maio 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Fevereiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds